Postado em 02/04/2019

Quando a criança nasce, seus familiares experimentam um sentimento de muita felicidade. Contemplam com atenção todos os seus movimentos e o estado de imobilidade. Está disponível, principalmente a figura materna, para o diálogo tônico, que na teoria Waloniana demonstra que o bebê dialoga com a mãe por meio das reações corporais.

Nesta fase os comportamentos se alternam em período de sono, vigília e alimentação. A motricidade é limitada, no entanto o recém nascido assimila as informações ao seu entorno e gradualmente as habilidades psicomotoras acontecem seguindo um desenvolvimento céfalo caudal, da cabeça para os pés e próximo distal do tronco para fora.
O surpreendente, é que desde o  nascimento, o bebê influencia o ambiente e o ambiente o influencia e temos nesta relação o corpo como instrumento de comunicação não verbal. Corpo e motricidade, organização motora e organização psíquica, como uma unidade,  privilegiando a relação afetiva.  
E o campo do conhecimento que investiga e instiga esse transformar o corpo num instrumento de relação e expressão, de disponibilidade tônico postural, que encara o corpo  como estrutura psicológica do eu, num tempo e num espaço é a Psicomotricidade. É na ação que se toma consciência de si e do mundo.            

Prof Janice Rico Cabral

 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook