Postado em 12/11/2019

Os neurônios são considerados a unidade elementar tanto do cérebro como do sistema nervoso, pois são responsáveis pela condução dos impulsos nervosos, além de possuírem a capacidade de responder aos estímulos do meio, como a luz e o calor.
Antigamente, a ciência indicava que nascíamos com uma quantidade X de neurônios que iam morrendo ao decorrer da vida, sem que fosse possível aumento desse número.
Porém, estudos recentes, como o do professor Terry Sejnowski, do Salk Institute for Biological Studies apontam que, ao contrário do que acreditávamos, nós somos capazes de gerar novos neurônios na fase adulta.
Mas afinal, como que podemos incentivar o nosso cérebro a produzir novos neurônios? Os especialistas sugerem, que é necessário que se pratique atividades físicas ao menos três vezes por semana, por pelo menos 30 minutos. Não é necessário que esses exercícios sejam complexos ou com uma intensidade muito alta.
As pesquisas de Sejnowski, no princípio, analisavam o comportamento de roedores. Esses que eram expostos a várias imagens e tinham que diferenciá-las. Quando aprenderam a distingui-las depois da prática, observou-se que novos neurônios haviam sido gerados. Curiosamente, se o animal parasse de se exercitar, os neurônios jovens desapareciam. E se voltassem a praticar a atividade, os neurônios reapareciam. Assim, indicando que a repetição de uma atividade pode ajuda a gerar novos neurônios.
Adaptando a descoberta para os humanos, Sejnowski não pensa duas vezes e defende que o esporte é a melhor atividade para combater o envelhecimento da nossa massa cinzenta. Porque exercícios incentivam a secreção do fator neurotrófico cerebral que melhora a memória e o ânimo, além de permitir que novos neurônios nasçam.

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook