Postado em 26/10/2018

Quando o professor transforma sua aula e decide ensinar aos alunos esportes diferenciados e que muitas vezes não são populares no Brasil, as aulas acabam se tornando muito mais prazerosas e atrativas. Exemplo disso é o professor de Educação Física Alessandro Diedrich, docente do colégio Colégio Professora Ana Maria Vernick Kava, que decidiu incrementar suas aulas ensinando esportes que não faziam parte da grade curricular. Dentre as modalidades trabalhadas por Alessandro,  encontram-se Badminton, peteca, vôlei, baseball, tênis, escalada, rugby, futebol americano, esportes indígenas, brincadeiras tradicionais, basquete, hockey, baseball, karatê, dodgeball, atletismo, esgrima, são algumas das modalidades já trabalhadas pelo professor.
Buscar alternativas diferenciadas é extremamente válida quando se busca outra linha de aprendizado. É importante trabalhar além de esportes, jogos, brincadeiras, lutas e danças, buscando propor maior conhecimento ao aluno e lhe apresentar a oportunidade de conhecer outras culturas e origens.
Alessandro explica que durante as aulas  ele costuma ser bem metódico, ensina desde a parte teórica até a parte pratica, e finaliza o conteúdo com uma competição com direito a arbitragem e premiação. Os alunos adoram e muita vezes até convidam familiares para assistir.
Como parte das aulas de Educação Física, ele também não esquece dos trabalhos manuais, importante para o desenvolvimento do aluno. “Já fiz um projeto bem legal que pretendo retomar, dentro da área dos esportes de inverno. Os alunos tiveram que construir um carrinho de rolimã, e a idéia foi simular um percurso de bobsled, aquele trenó de neve, do filme ‘Jamaica abaixo de zero, foi muito divertido’, conta o professor.

 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook