Postado em 04/07/2018

O estado nutricional na gravidez é fundamental para o bem-estar físico da futura mãe e para o crescimento do bebê no útero. É muito importante que as dúvidas sejam esclarecidas com seu médico no que diz respeito à nutrição e ao aumento de peso mais adequado à sua condição. A recomendação de especialistas é que a alimentação durante a gravidez seja variada, equilibrada e completa, sendo muito importante introduzir diferentes alimentos, particularmente cereais e seus derivados, tubérculos, frutas, laticínios, carnes, pescado, ovos e leguminosas, além de gorduras e óleos.

Boas práticas alimentares
Umas das principais boas práticas é fracionar a alimentação, pois a grávida terá que se alimentar várias vezes por dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, dois lanches da tarde, jantar e ceia. Além disso, os intervalos das refeições não devem ser superiores a três horas e meia. É aconselhavel uma boa mastigação e incluir na dieta alimentos com nutrientes ricos em fibras, vitaminas e minerais, além de consumir um litro e meio de água por dia. Alimentos como café, refrigerantes e frituras devem ser evitados.

Riscos alimentares
É aconselhado que os alimentos sejam cozinhados, grelhados ou assados. A preparação das refeições deve conter pouca gordura. Deve-se, de preferência, usar azeite, por ser uma gordura saudável.

Evitar o risco de Toxoplasmose
Normalmente sem sintomas, a toxoplasmose pode prejudicar gravemente a saúde do bebê. Esse parasita protozoário encontra-se nas fezes de gatos, mas também nas carnes cruas e no leite de cabra não pasteurizado. Existem alguns cuidados para evitar a toxoplasmose na gravidez, caso a mulher não seja imune à doença. Se fizer jardinagem, é recomendado o uso de luvas, já que a terra que cobre frutos e legumes poderá estar contaminada. Os legumes, quando ingeridos crus, devem ser sempre bem lavados. Deverá haver cuidado, em particular, com as saladas, sobretudo quando não são preparadas em casa. As carnes devem ser bem cozinhadas e não devem ser ingeridos quaisquer alimentos que não estejam pasteurizados.

Prevenir a Listeriose
A listeriose é uma infecção com sintomas semelhantes aos da gripe e da gastroenterite. A grávida deverá ter cuidados com a ingestão de laticínios não pasteurizados. Devem ser evitadas as refeições pré-preparadas ou refrigeradas, especialmente quando contêm frango e marisco. É uma boa opção preferir refeições em que os alimentos sejam preparados e cozinhados de modo caseiro.

Evitar Alimentos com Salmonela
Um dos riscos alimentares na gravidez é a contaminação por salmonela, que pode ocorrer, por exemplo, pela ingestão de ovos ou carnes de aves malcozidos. Apesar de não afetar a saúde do bebê, essa intoxicação alimentar pode ter repercussões na saúde da mãe. Na grávida, a salmonela pode causar febres altas, vômitos, diarreia e desidratação. Os ovos e as carnes de aves devem ser bem cozidos, e deve-se realizar uma seleção rigorosa dos alimentos ingeridos, especialmente quando as refeições são feitas fora de casa.

Evitar o Excesso de Peso
De resto, a grávida deverá seguir os princípios básicos de uma alimentação saudável, o que não significa ter uma dieta restritiva. Quanto mais diversificada for a alimentação da grávida, mais saúde trará à sua condição e ao bebê. O mais importante é que o consumo de alimentos menos saudáveis seja a exceção, e não a regra.

Não há evidências que comprovem que os desejos da grávida por certos alimentos sejam consequência de carências nutricionais do organismo da mãe ou do bebê. Dessa forma, o impulso de comer alguns alimentos deve ser controlado. Caso seja necessário, a mãe deverá pedir o aconselhamento do seu médico, que avaliará a possibilidade de uma consulta com um nutricionista ou dietista.

O ganho de peso adequado na gravidez será benéfico para a mulher, quer no período pré-natal, quer após o parto. Também será importante que a alimentação seja cuidada durante a amamentação, devendo a mãe buscar aconselhamento sobre os alimentos que deverá privilegiar ou, pelo contrário, evitar.

Saúde a Longo Prazo
O ganho excessivo de peso pode aumentar o risco de a mulher ter diabetes gestacional, condição que resulta de uma intolerância aos hidratos de carbono. Caso haja o diagnóstico de diabetes gestacional, o médico aconselhará acerca dos cuidados a tomar. Outros problemas na saúde a longo prazo podem ser decorrentes do ganho excessivo de peso durante a gravidez, como a obesidade e a hipertensão.

Fonte: extraído e adaptado de http://www.novemeses.pt/pt/artigos/ja-imagino-o-meu-bebe/nutricao-na-gravidez

 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook