Postado em 05/02/2018

É incontestável a importância do brincar em família – pais e filhos. Essa ação lúdica permite uma maior interação entre os membros, ajuda na descoberta e no conhecimento um ao outro, propicia um momento de descontração e diversão, melhora a relação intersocial, bem como é um dos fatores que aumentam a felicidade.
 
As brincadeiras e os jogos são transmitidos de geração em geração e carregam traços da cultura. Portanto, é uma oportunidade única de os pais apresentarem aos seus filhos as atividades que faziam na sua infância.
Seguem cinco atividades especiais para fazer com toda a família.
 
Pega-varetas
O jogo de varetas, ou pega-varetas, tem sua possível origem no jogo indiano chamado jonchet, do século V a.C. Os participantes deverão retirar as varetas, uma a uma, sem mover as demais. Caso isso ocorra, deverá passar a vez ao adversário. Vence aquele que conseguir o maior número de varetas, ou, caso haja valores atribuídos em função da cor, aquele que atingir a maior pontuação.
 
Três/cinco-marias
Brincadeira muito antiga, de origem conhecida na Grécia e em Roma. A família utilizará para ela cinco saquinhos recheados de areia (ou arroz) confeccionados pelas próprias pessoas. Após decidirem a ordem de jogar entre os participantes, dá-se o início.
O primeiro participante lança os saquinhos para o alto, deixando-os no local onde caírem. Em seguida, escolhe um saquinho e lança-o para cima. Enquanto este estiver no ar, o participante precisará juntar todos os demais que estão no chão. Se conseguir realizar tal tarefa, marcará um ponto e continuará jogando; se não, dará a vez para o próximo participante.
 
Show de talentos 
A família – crianças e pais – devem se organizar previamente, para que todos tenham um tempo adequado para ensaios, por exemplo. Cada participante deverá escolher um talento mais próximo de suas habilidades – cantar, recitar poemas, escrever textos, desenhar, entre outros – e deverá preparar uma miniapresentação a toda a família.
 
Futpar
Trata-se de uma variação do futebol, uma atividade tradicionalmente reconhecida, com algumas alterações, como a diminuição do espaço do jogo e do tamanho dos gols. O jogo será praticado por duplas, com as pessoas conectadas por uma fita. A atividade acontecerá até uma das duplas marcar primeiro três gols.
 
Quem vai sorrir?
Cada participante receberá dez bolinhas de jornal. Os participantes estarão espalhados aleatoriamente pelo espaço de jogo. Ao encontrar outro jogador, um deverá ficar de frente para o outro, e que der a primeira risada perderá uma bolinha. E assim o jogo continua até que alguém perca todas as suas bolinhas.
 
 
Tiago Aquino da Costa e Silva (Paçoca)
Graduado em Educação Física - FMU (CREF 049529-G/SP). Membro do LEL - Laboratório de Estudos do Lazer – Unesp/ Rio Claro. Membro da World Leisure Organization. Coordenador da pós-graduação em Lazer e Recreação – FMU e USCS. Autor de 25 livros sobre gestão, educação física e educação. Diretor de Kids Move Consultoria, Coletivo Pé de Brincar, Entretenimento SP, Lab-Brincar e página Brincadeiras e Jogos. Consultor e Palestrante Internacional. Site – www.professorpacoca.com.br.
 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook