Postado em 12/08/2018

É comum associar à tradução do espanhol uma aparente facilidade quando se leva em consideração a semelhança desse idioma com o português. Essa mesma semelhança, entretanto, gera uma série de armadilhas. Confira abaixo algumas delas e outras dificuldades que os tradutores do par espanhol-português devem enfrentar em seu trabalho.

 

Falsos amigos

Existe uma série de palavras iguais ou muito semelhantes nos dois idiomas com significados diferentes. São os “falsos amigos”. É preciso estar atento a eles para não cometer nenhum deslize.

Veja alguns exemplos:

asistir (a un evento)
em português: comparecer (em vez de “ver”)

billón
em português: trilhão (em vez de “bilhão”)

rubio
em português: loiro (em vez de “ruivo”)

taza
em português: xícara (em vez de “taça”)

Uso dos artigos
É possível observar no espanhol o uso constante de artigos que, em muitas ocasiões, são suprimidos no português. O inverso, porém, acontece em alguns casos, como abaixo.

- Antes de nomes de pessoas, cidades, países e continentes:

em português: A Rússia é um país enorme.
em espanhol: Rusia es un país enorme.

Nota: É feita exceção em casos como “los Estados Unidos”, “la República Dominicana” ou “los Emiratos Árabes”.

 

-  Antes de nomes de empresas:

 

em português: A Petrobras nasceu em 1953.
em espanhol: Petrobras nació en 1953.

 

- Antes de pronomes possessivos:

em português: A casa dos/de meus pais.
em espanhol: La casa de mis padres.

Uso das preposições
É muito comum confundir as preposições do português e do espanhol. O hábito nos leva a replicar algumas delas ao traduzir, de forma que não soaria natural para um nativo. Veja algumas diferenças:

em português: Alegrou-se com a notícia.
em espanhol: Se alegró de la noticia.

em português: Matar-se de trabalhar.  
em espanhol: Matarse a trabajar.

em português: É responsável pelo setor.
em espanhol: Es responsable del sector.

 

Voz ativa ou voz passiva

Em espanhol a voz passiva não é tão habitual como em português. Atento a esse fato, um bom tradutor deve saber identificar quando inverter a ordem de uma frase para que o texto de chegada soe natural. Em outros casos, é preferível usar a voz passiva com o “se” impessoal, como nos exemplos abaixo:

em português: Foram registrados cinco mil votos.
em espanhol: Se registraron cinco mil votos.
em português: Não foram observados sinais de violência.    
em espanhol: No se observaron signos de violencia.

Gerúndio

Construções com gerúndio também são mais comuns em português. Em espanhol, nunca devemos usá-lo para indicar uma ação posterior à do verbo principal. Também não é possível usá-lo como adjetivo, com raras exceções:

Ha salido una ley regulando los precios. (Errado)
Ha salido una ley que regula los precios. (Certo)


Gostaria de ampliar seus conhecimentos? No curso de Tradução de Espanhol da FMU, você verá estes e outros assuntos que um bom profissional deve conhecer. Clique aqui para saber mais.

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook