Postado em 30/05/2018

As possibilidades de expressão no corpo do ser humano são demonstradas, muitas vezes, por meio da dança. Nas escolas, desde cedo, crianças ao movimentar tronco e membros, conhecem mais sobre o desenvolvimento delas mesmas.

Reunidas, as crianças de variadas idades aprendem de maneira interdisciplinar, em sala de aula, através da dança e dos ritmos. Uma ideia é que as disciplinas de Artes e Educação Física possam ser ministradas pelos professores em conjunto, por exemplo. E é desta maneira que os conteúdos são assimilados pela turma e o aprendizado é interiorizado. Fala, gestos e demais movimentos acabam se completando.

Segundo o coreógrafo Ivaldo Bertazzo, coreógrafo e professor, a intenção é que os pequenos tenham, essencialmente, uma consciência corporal. Assim sendo, eles poderão entender como o corpo se relaciona com o espaço. A informação é que, em torno dos 10 anos de idade, a criança sedentária pode apresentar encurtamento de alguns músculos, o que provoca tensão.

Este estado faz com que  o corpo não permaneça em postura vertical, o que é essencial  para a concentração e funcionamento dos sentidos (visão, audição etc.).

Tanto em meninos quanto em meninas, pescoço tenso, coluna pouco ereta e desinteresse por esportes são motivos para deixar pais e educadores alertas. Passos de dança e o alongamento contribuem para eliminar a tensão. Neste sentido, dançar é o que vai manter o corpo e a mente integrados, auxiliando nos mais variados movimentos, no desenvolvimento motor e na postura, de uma maneira geral.

 *Com base em informações do site Nova Escola. 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook