Postado em 31/10/2017

A doença cardíaca congênita (cardiopatia congênita) é uma alteração na estrutura do coração presente antes mesmo do nascimento. É um termo genérico utilizado para descrever alterações do coração e dos grandes vasos, presentes ao nascimento.

Ao iniciar o programa de treinamento, indivíduos com essas necessidades, necessitam de um  acompanhamento médico e de um profissional de Educação Física especializado na prescrição de exercícios para pessoas nessas condições. É realizada uma avaliação médica e testes laboratoriais, onde profissionais irão analisar as condições atuais do paciente e consequentemente definir quais exercícios poderão ser prescritos.

São poucas as doenças no coração que impedem completamente o indivíduo a praticar atividade física. Existem algumas restrições para determinados tipos de atividades, que devem ser discutidas entre o profissional de Educação Física e o médico cardiologista.

Ao contrário do que se defendia no passado, hoje já é comprovado que a grande maioria das cardiopatias na infância não impede que a criança pratique exercícios no ambiente escolar, inclusive a atividade faz parte do tratamento em várias situações.

Os cardiopatas normalmente não estão aptos a exercício no mesmo volume e intensidade que a maioria das pessoas. Como exemplo, a caminhada não será com a mesma distância e velocidade.

A grande questão é que a maioria das cardiopatias na fase adulta são causadas justamente pelo sedentarismo, hábitos alimentares ruins, estresse, etc.

A lição que tiramos a respeito é que a prática de exercícios físicos é uma necessidade, ficando à sua escolha.

 

Opte por ser saudável,sempre! 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook