Postado em 03/04/2019

E aí, bora brincar?

Os educadores e os pais podem utilizar o jogo como meio para o desenvolvimento das crianças e dos jovens, oferecendo-lhes oportunidades para criar, explorar, divertir e experimentar os jogos. Em um espaço adequado, as crianças farão as escolhas sobre com o que brincam e com quem fazem isso. Nele, os adultos podem atuar como “educadores do brincar”.

Pensar na infância traz saudades de um tempo que não volta mais, no qual brincadeiras, jogos e fantasias estavam presentes em diversos momentos. O que você fazia na sua infância? Quando éramos crianças, a verdade estava na nossa imaginação – onde éramos as princesas no castelo ou cavaleiros em brilhantes armaduras matando o dragão. Em nossas mentes, podíamos fazer qualquer coisa! Sonhar, fazer de conta, agir por impulso e correr risco eram situações permitidas no mundo da infância. Momentos mágicos, memoráveis, coloridos e únicos são criados nessa fase.

O brincar e o jogar são momentos sagrados na vida de qualquer indivíduo. É com a prática dos jogos e das brincadeiras que as crianças ampliam seus conhecimentos sobre si, sobre os outros e sobre o mundo que está ao seu redor, desenvolvem as múltiplas linguagens, exploram e manipulam objetos, organizam seus pensamentos, descobrem e agem com as regras, assumem papel de líderes e socializam com outras crianças, preparando-se para um mundo socializado.

O que são o brincar e o jogar? O brincar é caracterizado como um ato de diversão, conferindo enorme dimensão simbólica à existência de regras simples, sendo fundamental, em potencial, para o desenvolvimento integral das crianças a partir do seu nascimento. A vivência e a experiência com as brincadeiras servem de elo entre a relação do indivíduo com a interior e realidade externa.

Já o jogar consiste numa ação prazerosa, feita de livre arbítrio, com a existência de regras, as quais são estabelecidas no início ou construídas durante a prática e devem ser cumpridas à risca. Tem por objetivo o desenvolvimento de alguma habilidade motora ou sua aquisição, sendo essencial na vida das crianças a partir de seis anos.

Por fim, o brincar e o jogar contemplam o mundo mágico infantil, pois são uma das principais formas de autodescoberta e vivências da própria criança. Partindo da percepção de seus limites e de suas possibilidades, elas exploram seu ambiente por meio de suas brincadeiras de uma maneira saudável e produtiva, contribuindo assim para a integração de suas primeiras experiências culturais.

REFERÊNCIAS
SILVA, T. A. C.; GONÇALVES, K. G. F. Manual de lazer e recreação: o mundo lúdico ao alcance de todos. São Paulo: Phorte, 2010.

Tiago Aquino da Costa e Silva (Paçoca)

 

 

 

Contatos

Biblioteca Digital

Facebook